quarta-feira, 12 de abril de 2017

Ahava- Ernani Fernandes





Está ai o Clipe da música "Ahava" que foi feito com muito carinho, peço
aos meus amigos que compartilhem e deixem um comentário NO NOSSO CANAL
DO YOUTUBE pois será de grande ajuda para nós.
Deus abençoe a todos. Grande abraço!

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Pra Jesus


Eu e meu marido temos feito músicas pra Jesus e essa em particular é uma das nossas preferidas. Muitas vezes ficamos como Pedro em meio ao mar, olhamos para as circunstâncias e perdemos a fé, então clamamos a Jesus não nos deixe afundar nesse mundo, não deixe que o sofrimento me afaste de ti do seu amor, da sua paz...
Para quem gostar da musica e quiser aprender a cifra só acessas o link https://www.cifraclub.com.br/ernani-fernandes/pra-jesus/
Inscreva-se no canal no youtube e ajude a pregar a Palavra de Jesus a toda criatura.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

A Face Oculta do Amor

Estudo retirado do livro A Face Oculta do Amor do pastor Coty da Jocum.

Em II Samuel 13: 1-17 vemos a história de Amnon e Tamar
Amnom, filho de Davi, apaixonou-se por Tamar; ela era muito bonita e era irmã de Absalão, outro filho de Davi.
Amnom ficou angustiado a ponto de adoecer por causa de sua meio-irmã Tamar, pois ela era virgem, e parecia-lhe impossível aproximar-se dela. Amnom tinha um amigo muito astuto chamado Jonadabe, filho de Siméia, irmão de Davi.
Ele perguntou a Amnom: "Filho do rei, por que todo dia você está abatido? Quer me contar o que se passa? " Amnom lhe disse: "Estou apaixonado por Tamar, irmã de meu irmão Absalão".
Então disse Jonadabe: "Vá para a cama e finja estar doente". "Quando seu pai vier visitá-lo, diga-lhe: Permite que minha irmã Tamar venha dar-me de comer. Gostaria que ela preparasse a comida aqui mesmo e me servisse. Assim poderei vê-la. "
Amnom atendeu e deitou-se na cama, fingindo-se doente. Quando o rei foi visitá-lo, Amnom lhe disse: "Eu gostaria que minha irmã Tamar viesse e preparasse dois bolos aqui mesmo e me servisse".
Davi mandou dizer a Tamar no palácio: "Vá à casa de seu irmão Amnom e prepare algo para ele comer".
Assim, Tamar foi à casa de seu irmão, que estava deitado. Ela amassou a farinha, preparou os bolos na presença dele e os assou.
Depois pegou a assadeira e lhe serviu os bolos, mas ele não quis comer. Então Amnom deu ordem para que todos saíssem; depois que todos saíram, Amnom disse a Tamar: "Traga os bolos e sirva-me aqui no meu quarto". Tamar levou os bolos que havia preparado ao quarto de seu irmão.
Mas quando ela se aproximou para servi-lo, ele a agarrou e disse: "Deite-se comigo, minha irmã". Mas ela lhe disse: "Não, meu irmão! Não me faça essa violência. Não se faz uma coisa dessas em Israel! Não cometa essa loucura.
O que seria de mim? Como eu poderia livrar-me da minha desonra? E o que seria de você? Você cairia em desgraça em Israel. Fale com o rei; ele deixará que eu me case com você".
Mas Amnom não quis ouvir e, sendo mais forte que ela, violentou-a. Logo depois Amnom sentiu uma forte aversão por ela, mais forte que a paixão que sentira. E disse a ela: "Levante-se e saia! "
Mas ela lhe disse: "Não, meu irmão, mandar-me embora seria pior do que o mal que você já me fez". Ele, porém, não quis ouvi-la, 
e chamando seu servo, disse-lhe: "Ponha esta mulher para fora daqui e tranque a porta". 
2 Samuel 13:1-17

Amnom estava totalmente dominado por um sentimento que removeu os limites e o controle do seu comportamento. A sensualidade torna a pessoa surda e desenfreada, ou seja, imediatista em relação aos seus desejos. Amnom impiedosamente extravasou seus sentimentos e desejos através da força e agressão, o que resultou num incesto.

Aqui se define o estado agudo de desequilíbrio que a sensualidade provoca em suas vítimas. O que temos em pauta é um desgoverno total baseado na falência do domínio próprio. O amor sensual sempre se confunde e mistura com o ódio e a aversão. Ele segue a instabilidade emocional e espiritual da pessoa. Quando a pessoa se sente bem ela "ama", quando a pessoa se sente mal, ela aborrece. O amor sensual se baseia puramente na satisfação psico-emocional do indivíduo.

Paixão
O motivo existencial da sensualidade é a ânsia pelo prazer e não a responsabilidade de fazer a outra pessoa feliz. As motivações normalmente são egocêntricas e condenáveis.
Não existe mal nenhum em nutrir um sentimento por alguém, mas idolatrar este sentimento sendo governado, ou melhor dizendo, desgovernado por ele, redunda em sensualidade.
"e aconteceu depois disto que, tendo Absalão, filho de Davi, uma irmã formosa, cujo nome era Tamar, Amnom, filho de Davi, amou-a. E angustiou-se Amnom, até adoecer, por Tamar, sua irmã..."
A paixão ainda está muito longe de ser amor verdadeiro, o qual é marcado pelo compromisso, respeito, fidelidade, paciência, etc.

Aversão
A aversão é a outra face do espírito de sensualidade a ser contemplada por aqueles que se tornaram enlouquecidos pela paixão. Esta é a face oculta do amor. Normalmente, a intensidade do descontrole sentimental causado pela paixão será diretamente proporcional no sentimento de aversão.

Depois que a pessoa já empanturrou todo seu apetite sentimental e principalmente sexual, como Amnom fez, sendo desaprovado na prova da paixão, onde normalmente ninguém cogita a manipulação de forças demoníacas, surge agora a manifestação de um sentimento repugnante, faccioso, claramente diabólico de ódio e aversão. A pessoa passa a simplesmente não suportar a presença da outra: 
"Depois Amnom sentiu por ela grande aversão, e maior era a aversão que sentiu por ela, que o amor que lhe votara. E disse-lhe Amnom: Levanta-te, vai-te embora".

Isto, em muitos casos, chega a se tornar uma oscilação crônica, onde o casal vive "entre tapas e beijos". "Amor" na hora do prazer e rejeição na hora da responsabilidade.
Esta aversão vai gerando problemas, melindrosidades, supervalorização do irrisório, desconfianças, ciúmes, assuntos crônicos de contenda, clima de amargura e total desentendimento. Um quadro de infelicidade total. 
Pesadas cargas de rejeição e palavras potencialmente ferinas são trocadas, e vão golpeando e desgastando o relacionamento que vai perdendo a resistência. O ódio se instala, seguido pela indiferença e desprezo, e assim, mais um divórcio acaba sendo concretizado por atitudes de traição e abandono.

Paixão e aversão, um par inseparável. Mas o Espírito Santo tem uma arma poderosa: o domínio próprio. Dominar a paixão é a maior prova que nosso compromisso subsistirá à prova da aversão. O verdadeiro amor não se deixa abalar pelos extremos da paixão nem da aversão, pois antes de tudo honra uma aliança com Deus.

Obstinação
A sensualidade gera um sentimento que se baseia no medo de perder. Este sentimento é o ciúme e através dele materializa-se a possessividade que constitui uma das mais terríveis deformações da personalidade, onde a pessoa se sente no direito de viver a vida de outros por eles.

O ciúme, que se fundamenta na insegurança em relação a conseguir o que deseja, peca frontalmente contra o espírito de renúncia que é a engrenagem mestra que nos move nos caminhos de Deus. Sem renúncia, a idolatria, a possessividade e todo tipo de descontrole se instalam.
Quando Amnom se fixou na improbabilidade de conseguir um relacionamento com Tamar, o medo de perdê-la começou a gerar um desespero que redundou numa cobiça implacável.

O medo de perder produz uma insegurança aguda que nos leva literalmente a furtar a liberdade da outra pessoa que é o objeto de nossa cobiça, anulando sua individualidade, violando a liberdade e asfixiando o relacionamento. Enquanto a renúncia nos faz andar com Deus. O ciúme nos faz andar com o diabo num caminho de depressão, baixa estima e desespero.

A sensualidade também pode assumir um porte de neurose, onde a pessoa permanece trancada num mundo onde apenas os sonhos e fantasias daquela paixão estão presentes. A pessoa acaba ficando paralisada, sem iniciativa, profundamente enferma na alma, sobrevivendo para as outras áreas da vida.

"E angustiou-se Amnom, até adoecer, por Tamar, sua irmã, porque era virgem: e parecia aos olhos de Amnom dificultoso fazer-lhe coisa alguma".

O amor sensual que inundava a vida de Amnom primeiramente levou-o a uma plataforma de incredulidade na possibilidade de um relacionamento com Tamar, ou seja, foi torturado pela inferioridade e medo de não conseguir, onde seus sentimentos se angustiaram tanto a ponto de somatizarem, ou seja, adoecendo-o fisicamente.
Rebelando-se contra este ambiente interno de dor e medo, se projetou através de uma obstinação cega, obedecendo a qualquer preço os impulsos da sua paixão.

Falta de compromisso
O amor sensual se fundamenta na auto-satisfação. Ou seja, a essência que traduz a motivação da pessoa não é servir, mas usar. A motivação é ser feliz e não fazer a outra pessoa feliz.
Podemos perceber claramente esta falta de compromisso da qual consistia a grande paixão de Amnom: 

"E disse-lhe Amnom: Levanta-te, vai-te embora. Então ela lhe disse: Não há razão de me despedires assim; maior seria este mal do que o outro que já me tens feito. Porém não lhe quis dar ouvidos".

Amnom não teve a mínima consideração com a pessoa que a poucos instantes estava tão apaixonado. Ele a manipulou, forçou, usou, abusou, humilhou, e lançou fora como um objeto que não era mais conveniente. Não é de se surpreender que Amnom tenha perdido precocemente sua vida, sendo assassinado friamente pelo próprio irmão.

Inconstância e transitoriedade
A falta de compromisso faz com que um relacionamento seja fraco e superficial, como também torna a pessoa totalmente volúvel nos seus sentimentosO amor sensual está totalmente fechado para conciliar o sofrimento, a responsabilidade diante das dificuldades e a paciência, que são os agentes depuradores do verdadeiro amor. Portanto, o amor sensual só sobrevive enquanto está agradando e atendendo interesses próprios. 

Quando o relacionamento não dá mais o retorno esperado, parece mais fácil e cômodo sair pela tangente, não importando as conseqüências, bem como os danos psicológicos que isto poderá causar.

No caso de Amnom, sua paixão durou o curto tempo de uma relação sexual forçada e precipitada, onde apenas ele se satisfez. Sua paixão, nada mais era que um desejo sexual ardente. Quando o desejo acabou, a paixão também acabou. Tudo que sobrou foi aversão e frustração.


Falta de exclusividade
O espírito de sensualidade impõe um índice tão acentuado de descontrole e insatisfação, que se torna normal a pessoa ficar flutuando em vários objetivos amorosos simultaneamente. A concupiscência dos olhos e da carne passa a controlar o comportamento do indivíduo.

Os mandamentos de Deus são sábios e constituem uma salvaguarda para todos que os obedecem. Não queiramos ser mais sábios que a Bíblia. Todos os casos de poligamia na Biblia tiveram serias conseqüências na historia de seus descendentes, provando que esse nunca foi o propósito original de Deus.
A sensualidade sempre conduz à defraudação. O espírito de sensualidade impõe sobre as pessoas pensamentos cíclicos de imoralidade e intermináveis fantasias sexuais.

A suprema excelência do amor diz: Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta". Este amor nunca falha.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

O Silencio de Adão

Em seu livro "O Silencio de Adão" Larry Crabb aborda o assunto da masculinidade de uma forma bem interessante. Creio que é pertinente ao homem entender um pouco sobre sua virilidade. Portanto transcrevo alguns trechos do livro a fim de colaborar com ambos os sexos na compreensão da sua identidade.

Algo foi perdido. Há algo errado com os homens. Algo bom que Deus colocou dentro de cada homem. Como forma de introduzir minha compreensão da masculinidade, pense na masculinidade como uma energia- um impulso natural dentro do coração de todo homem.

Homens pouco viris
Quando a energia masculina não é liberada, quando é suprimida ou distorcida, os homens:
1-Sentem-se impotentes- por isso compensam dedicando-se a controlar alguma coisa. Tornam-se homens agressivos
2- Zangam-se- experimentam fúria e se convencem de que vingança lhes é devida. Tornam-se homens abusivos.
3-Aterrorizam-se- vivem com um terror para o qual não há solução ou escape, apenas alívio. eles atenuam o terror com prazer físico e tornam-se viciados.

Muitos homens estão trilhando um caminho que, pensam, os levarão ao usufruir da legitima masculinidade, pode demorar até que percebam que o caminho que estiveram seguindo libera energia masculina mais corrupta que genuína.


 Homens viris
1- Sabe que é forte e nao importente. Sua vocação de refletir Deus, em sua forma de se relacionar, os motiva mais do que seu desejo por poder ou medo de impotência.
2-Não se sentem ameaçados (paz). Sua tristeza e solidão desperta uma compaixão pelas pessoas. É manso, não fraco, cujo poder é controlado para bons propósitos.
3-Não é viciado, ele trata o corpo com severidade para evitar o perigo de submeter-se a um poder alheio. Ele luta pesado contra seu desejo implacável de prazer. Ele se move de acordo com um plano.

O que está errado com homens?
Todo homem se debate com um silêncio profundo e escolhido. Os homens querem amar e ser amados, mas se sentem interiormente bloqueados. Algo não permite que suas emoções e sentimentos venham para fora.

Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais selvagens que o Senhor Deus tinha feito. E ela perguntou à mulher: "Foi isto mesmo que Deus disse: ‘Não comam de nenhum fruto das árvores do jardim’? "
Respondeu a mulher à serpente: "Podemos comer do fruto das árvores do jardim, mas Deus disse: ‘Não comam do fruto da árvore que está no meio do jardim, nem toquem nele; do contrário vocês morrerão’ ".
Disse a serpente à mulher: "Certamente não morrerão!
Deus sabe que, no dia em que dele comerem, seus olhos se abrirão, e vocês serão como Deus, conhecedores do bem e do mal".
Quando a mulher viu que a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento, tomou do seu fruto, comeu-o e o deu a seu marido, que comeu também.
Os olhos dos dois se abriram, e perceberam que estavam nus; então juntaram folhas de figueira para cobrir-se. 
Gênesis 3:1-7

Ao longo da história, a Igreja tem culpado Eva pela queda da raça humana. A maior parte das pessoas presume que, enquanto a serpente e Eva conversavam, Adão estava em outro lugar. Tem sido ensinado que Eva deu o primeiro passo para pecar contra Deus, e que Adão apenas seguiu o seu exemplo. Mas e se Adão estivesse ali com Eva durante toda a conversa? E se sua desobediência começou, não quando comeu do fruto, mas, quando se recusou a falar com a serpente ou com sua esposa?

Se Adão esteve presente e se calou. A interpretação de Gn talvez tenha permitido que os homens culpem as mulheres por seus problemas- exatamente como Adão culpou Eva- e não assumam responsabilidade por seus fracassos. Então seu silêncio se torna um pecado.

Adão foi um homem passivo, ele esteve fisicamente presente, mas, emocionalmente ausente. Adão foi passivo 3 vezes. ele ouviu a serpente, ouviu a esposa, aceitou o fruto e, então, comeu. A Palavra de Deus suscitou a Criação do caos, o silêncio de Adão trouxe o caos de volta a Criação. Deus usou a linguagem para estabelecer um relacionamento; Adão usou o silêncio para destruir o relacionamento. Adão o portador da imagem de Deus, não refletiu o seu Deus.

O texto de Genesis declara que Adão estava ali. "Quando a mulher viu que a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento, tomou do seu fruto, comeu-o e o deu também a seu marido, que estava com ela e ele  comeu".Gênesis 3:6

Essa frase simples e condenatória tem sido grandemente ignorada. Em hebraico, a palavra imha é composta de duas outras, cuja tradução para o português seria equivalente a "com ela". A construção hebraica é uma combinação de preposição 'im' que significa com e pronome pessoal feminino na 3 pessoa 'ha', que significa 'ela'. Quando 'im' é usado, denota grande proximidade entre os interlocutores, não apenas uma associação muito chegada, mas proximidade física.

A narrativa de Gn também se passa numa única unidade de tempo. Não há nada no versículo 6 que sugira que Adão estava distante no momento da tentação. Não há qualquer quebra de tempo, ao contrário, vemos Eva tomar do fruto, morde-lo e imediatamente entrega-lo ao seu passivo e silencioso marido, que estava com ela. Eva não saiu de cena e foi procurar Adão. 

O autor de Gênesis revelou o enredo e o problema nos 3 primeiros capitulos. Os demais 47 cap. desenvolvem o mesmo tema do silencio masculino, esses homens continuamente metem-se em apuros quando escolhem o silencio em vez de envolvimento. Adão não ficou sozinho em seu silêncio. Sua escolha de se calar estabeleceu o padrão para a desobediência dos homens desde então.

O silêncio de Adão foi letal. Ele trouxe quebra de relacionamento. E em ultima instancia, trouxe a morte.
Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.
Gênesis 3:12

Por na mulher a culpa tira dos ombros do homem a responsabilidade. Sendo um homem que se sente inadequado e incompetente, é importante que nunca esteja errado, nunca seja o culpado. O silencio ou o desaparecimento tornam-se a melhor defesa contra o medo.

Deus criou os homens para trazerem redenção a um mundo trágico. Ele os criou fortes para protegerem os que o cercam. Mas ele foi danificado em algum momento da vida. Ele conhece o perigo de se arriscar, quer no relacionamento, quer no trabalho. Muitos estão convencidos de que a confusão dos relacionamentos e a incerteza do futuro pode destrui-los. Assim permanecem calados. quando os homens se calam, contudo, negam a existência e a bondade de Deus. O silencio destrói, o falar cria.


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Lucifer Origens

Ontem conversando com uma amiga falamos um pouco sobre a origem do nome Lucifer, e por "coincidência" me deparei com um post do blog Crentassos a respeito do assunto, o qual achei bem pertinente.

Tentarei dar uma visão geral das informações que coletei, dando credito as devidas referencias.

Muitos são os adjetivos e nomes dados ao diabo, mas Lucifer certamente não deveria ser um deles. O Antigo Testamento foi escrito em hebraico, lingua original do povo judeu. O Novo Testamento, ainda que alguns desconheçam, também foi escrito em hebraico originalmente e também em aramaico, dialeto usado na época de Jesus Cristo.
Como na época de Jesus, o grego era a lingua predominante na época, as cópias dos evangelhos eram feitas em grego, a fim de levar o evangelho ao maior numero de pessoas possível. O imperador grego Constantino realizou um concilio onde oficializou o cristianismo como religião oficial do imperio romano, daí então teríamos a Vulgata, ou versão da Bíblia em latim.

Parem de me chamar de Lúcifer! Se bem que para o “peludo”, quanto mais ignorante o povo for a seu respeito, melhor, como bem frisa CS Lewis em seu magnífico livro Cartas ao Inferno.
Lúcifer em hebraico, heilel ben-shachar, הילל בן שחר; em grego na Septuaginta, heosphoros (heos = da manhã + phoros = o que transporta ou o que é transportado), na Vulgata do latim lucem ferre (lux, lucis = luz + ferre = transportar ) que quer dizer "portador de luz", representa a estrela da manhã (a estrela matutina), a estrela D'Alva, o planeta Vênus, mas também foi o nome dado ao anjo caído, da ordem dos Querubins, como descrito no texto Bíblico do Livro de Ezequiel:

Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor DEUS: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura.
Ezequiel 28:12


Também encontramos uma menção a Lucifer em Isaías:
Como você caiu dos céus, ó estrela da manhã, filho da alvorada! Como foi atirado à terra, você, que derrubava as nações!
Isaías 14:12

O texto de Is 14 em seu contexto, em nenhum momento sugere a queda de um ser angelical. É explicitamente um oráculo contra o rei da Babilônia, um ser humano que queria ser igual a Deus. O título dado ao rei, Estrela d`alva, ou estrela da manhã, é de ascendência mítica em literaturas antigas, e “aplicado ao rei de Babilônia equivale a título divino”. “O rei da Babilônia, não Satanás, está em foco, porque ‘subjuga as nações’. É difícil ver como Satanás poderia subjugar nações inteiras em sua queda original, quando elas ainda nem existiam”.

O substantivo Lúcifer ocorre seis vezes na Vulgata, versão latina da Bíblia. Lúcifer se refere literalmente à "Estrela da Manhã" ou "Estrela D'Alva", à "luz da manhã", e à "aurora" ou, metaforicamente, ao "rei da Babilônia", ao sumo sacerdote Simão, filho de Onias, à Glória de Deus, ou a Jesus Cristo.
Jesus Cristo, no livro de apocalipse (22:16) se auto denomina "resplandescente estrela da manhã", o que é diferenciado quando o termo é usado separadamente "estrela da manhã" como "poder" sobre "nações". (Apocalipse 2:28 e 26) (Isaías 14:12)

Por exemplo:
“ E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça, e a estrela da alva apareça em vossos corações. ”
 2 Pedro 1:19 Tradução Almeida Fiel,

Este mesmo trecho em latim, na Vulgata é:
“ et habemus firmiorem propheticum sermonem cui bene facitis adtendentes quasi lucernae lucenti in caliginoso loco donec dies inlucescat et lucifer oriatur in cordibus vestris ”
2 Pedro 1:19

Se a estrela d´alva é Lucifer, estaria o apostolo Pedro nos desejando termos lucifer em nossos corações?
Claro que não. Pedro se referia a Jesus quando disse isso. Podemos notar isso em Ap 22:16


Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.
Apocalipse 22:16


Mas alguns argumentam que Lúcifer seja Satanás e por isso, também foi o nome dado ao anjo caído, da ordem dos Querubins (Ez 28.14). Assim, muitos nos dias de hoje, numa nova interpretação da palavra, o chamam de Diabo (caluniador, acusador), ou Satã (cuja origem é o hebraico Shai'tan, Adversário).

O fato é que, não se encontra amparo nem no Novo Testamento nem nos escritos dos pais apostólicos uma afirmação de que Satanás uma vez foi um belo anjo chamado Lúcifer. Foi a partir do séc. III, com Orígenes, que essa associação começou e nunca parou, baseado no texto "Vita Adae et Evae", com o texto de Lucas 10:18 “vi satanás cair do céu COMO uma bola de fogo” ou “COMO um raio” e mais uma vez o texto NÃO está dizendo que Satã é uma bola de fogo, nem raio, mas que ele caiu como tal. E de lá para cá muitos homens tem reforçado a teoria de Origenes, fazendo assim “uma bola de neve” com tantas interpretações.

Contudo, uma exegese honesta com o texto bíblico não pode cometer esse erro. Dizer que Lúcifer é Satanás é ser arbitrário na escolha dos versículos. É ler o texto isolado de seu contexto, acreditando que ele contém uma verdade escondida, mais espiritual. É querer fazer o texto falar algo que ele não quer falar! Não é dessa forma que se lê e interpreta a Bíblia. Eu não posso escolher dois ou três versículos bíblicos, isola-los e dizer que eles querem dizer tal coisa.





Leia mais http://crentassos.com.br/blog/2011/09/meu-nome-nao-e-lucifer.html#ixzz2UnVRv3cM 
http://exegeseoriginal.blogspot.com.br/2011/02/lucifer-e-estrela-da-manha.html 
wikipedia..

quinta-feira, 23 de maio de 2013

A Espera do amado por Debby Jones e Jackie kendall

Alguma vez você já achou que o segredo da felicidade jaz em um casamento?
Já lhe passou pela cabeça a idéia de que as únicas mulheres completas são as casadas?
Você tem buscado satisfação em sua carreira profissional, aguardando o momento em que venha a se casar?
Se respondeu "sim" a qualquer uma dessas perguntas, está acreditando em ilusões.

A mulher torna-se mulher quando vem a ser aquilo que Deus deseja que ela seja. Essa verdade de valor incalculável pode ajudarnos a manter a perspectiva correta do verdadeiro contentamento. Muitas mulheres cristãs acham que seus anseios só poderão ser preenchidos com romance, casamento ou a maternidade. Contudo uma análise mais profunda revela que o que precisam de fato é de um relacionamento íntimo com Jesus.


VASO DE ALABASTRO
Nos tempos bíblicos, quando uma moça se aproximava da idade de se casar, sua família comprava um vaso de alabastro e depositava nele óleos preciosos. O tamanho do vaso e o valor do óleo dependia das condições financeiras da família. Ele era parte de seu dote. Quando um jovem vinha pedir-lhe a mão em casamento, a moça tomava o vaso e quebrava-o a seus pés. Essa unção dos pés do noivo era uma demonstração de honra. 
Certo dia, Jesus estava ceando na casa de Simão, o leproso, quando uma mulher aproximou-se e, quebrando seu vaso de alabastro, derramou o óleo precioso sobre a cabeça dele (Mc 14:3-9). O texto do livro de Lucas que relata o mesmo episódio descreve a mulher como uma pecadora da cidade (7:37). Ela considerou Cristo merecedor de tal sacrifício e honra. E ele elogiou seu gesto. A atitude daquela moça foi de grande importância, não apenas pelo fato de haver preparado Jesus para o sepultamento, mas também porque o elegeu seu noivo celestial. Sim, ela era uma pecadora (de acordo com Romanos 3:23, todos somos), mas tinha sonhos. Ela agiu com sabedoria ao quebrar o vaso diante do único que pode tornar realidade os sonhos de uma mulher.

Qual o conteúdo do seu vaso de alabastro? Fantasias que tiveram início na infância, quando ouvia contos de fadas sobre casais que viveram felizes para sempre? Você tem vivido agarrada ao seu vaso de alabastro, procurando freneticamente alguém que seja merecedor de seu conteúdo? Tome-o agora e quebre-o aos pés de Jesus, pois ele é digno dessa honra.
Se agir dessa maneira diante de seu noivo celestial, fique certa de que, se for vontade de Deus, ele a suprirá com um noivo aqui na terra.

NOVOS AMIGOS
Procure não passar muito de seu tempo livre na companhia de pessoas que não compartilham de seu entusiasmo pelo Senhor. Tais relacionamentos poderão afetar sua vida cristã. Se um incrédulo ou um crente "morno" exercer maior influência sobre nós do que nós sobre ele, acabaremos tendo problemas.

NOVOS AMBIENTES
Algumas mulheres solteiras precisam de uma mudança porque não encontram em seus relacionamentos o alimento espiritual de que necessitam procure acercar-se de tudo que estimule seu crescimento no Senhor. Muitas mulheres gostariam de ser semelhantes a Cristo, mas seu estilo de vida é um reflexo do que lêem em revistas seculares dedicadas ao público feminino.

NOVA FE
Muitas mulheres participam dos cultos de uma igreja, mas nunca tiveram um envolvimento vital e dinâmico com Jesus. Sua vida religiosa tem sido como a que vemos em Isaías 29:13: "... e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, que maquinalmente aprendeu."
Sua fé é um ritual morto; não uma relação viva de amor com Jesus. Procuremos utilizar parte do nosso tempo livre para aprofundar nosso relacionamento com Jesus Cristo.


Enquanto o "homem perfeito" não aparece, algumas moças buscam realizar-se em uma carreira profissional. Entretanto, com o passar do tempo, acabam descobrindo que o sucesso no trabalho também não traz a realização que procuram. Não é numa profissão, nem no casamento, nem mesmo nos filhos que encontraremos satisfação. Deus sabe que só seremos completas quando entendermos que apenas Jesus pode preencher o vazio que há em nós. "Porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade. Também, nele, estais aperfeiçoados. Ele é o cabeça de todo principado e potestade." (Cl 2:9,10) Quando uma mulher solteira se entrega a uma carreira ou mesmo a um casamento, sem compreender que somente em Cristo será completa, acaba desiludida e insatisfeita.

Sentir-se vazia não é resultado da ausência de um marido, mas da falta de Jesus. É no processo de entrega completa a Cristo que finalmente percebemos que nele está nossa plenitude. Quando dois jovens "incompletos" se casam, sua união não os completa. Seu casamento é apenas a junção de duas pessoas "incompletas", tentando preencher o vazio uma da outra. Apenas quando compreenderem que sua plenitude encontra-se no relacionamento com Jesus é que poderão complementar-se reciprocamente. Não fomos criados para nos completarmos mutuamente, mas para nos complementarmos. Cabe a Jesus completar; à mulher, o privilégio de complementar.

Somente a jovem solteira que compreende a profundidade desse relacionamento com Jesus está preparada para ser uma companheira e ajudadora (um complemento).

Aceite o desafio de buscar a Jesus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento. Como mulher solteira, este é o momento perfeito para firmar um relacionamento profundo com Jesus e eliminar o cristianismo morto de sua vida.
O primeiro passo para tornar-se uma mulher à espera do amado é a rendição completa a Jesus. A força e a disciplina necessárias para nos tornarmos mulheres diligentes, de fé, virtude, devoção, pureza, segurança, contentamento, convicção e paciência revelam-se por meio de um relacionamento profundo com nosso noivo celestial. A mulher à espera do amado conhece o odor agradável do perfume que
emana de seu "vaso de alabastro". É o aroma irresistível da rendição completa ao Senhor Jesus.

Extraido do livro: "A Espera do Amado" de Debby Jones e Jackie Kendall

sábado, 22 de dezembro de 2012

Vc conhece a Laminina?

Recentemente participei de um seminário na Jocum com o professor Thomas Grunder e ele mencionou a Laminina, como boa curiosa que sou resolvi pesquisar sobre o assunto.


A laminina é uma proteína que é parte da matriz extracelular,presente na membrana basal, com funções específicas, e dentre elas, destaca-se a adesividade é encontrada  em seres humanos e animais. A matriz extracelular (ECM) encontra-se fora das células e proporciona apoio e fixação para as células no interior dos órgãos (juntamente com muitas outras funções).

Dentre tantas proteínas, a Laminina é uma das responsáveis por manter as células unidas e permite que estas células saibam qual é a função a desempenhar no organismo. É tipo uma barra de aço do corpo humano que mantém as membranas juntas. A laminina e outras proteínas da MEC, essencialmente, "colam" as células (tais como os de revestimento do estômago e intestinos). Isso mantém as células no local e que lhes permite funcionar corretamente. A estrutura da laminina é muito importante para a sua função (tal como acontece com todas as proteínas).

Mas isso seria somente uma curiosidade cientifica se não fosse pelo seu formato. A laminina é uma proteína em formato de cruz, presente na matriz extracelular de praticamente todas as nossas células.
É uma proteína que ajuda a prevenir e tratar lesões graves causadas por acidentes. A laminina é encontrada em tecidos do corpo humano, nos músculos e na placenta. É fácil de ser coletada e conservada em um freezer comum.
Uma professora da UFRJ desenvolve em seu laboratório uma promissora pesquisa sobre a utilização da proteína Laminina no tratamento de lesões raquimedulares.

O mais interessante nisso tudo é que a ciencia nos ajuda a provar os mistérios de Deus. A função da laminina é a de colar de manter junto, assim como Jesus, ele veio p/ nos grudar com o Pai, nos fazer colar de novo no Pai. Deus se revela a nós de tantas formas, a laminina só prova a onisciência de Deus. Em todas as coisas vemos Deus dizendo: Eu amo vc! Eu estou aqui!

Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.
Salmos 139:16

Abaixo segue um video mtooooo interessante sobre a laminina e a grandeza do universo.



domingo, 9 de dezembro de 2012

O nome de יהוה (YHWH) na cruz de Jesus


(Recentemente ouvi a pregação do pastor Lamartine a respeito do nome de Deus e resolvi ilustrar o que ele expôs).

No império romano era comum a crucificação como meio de punição. Quando alguém era condenado ficava dependurado no madeiro e se por acaso alguém quisesse saber qual fora o crime cometido pela pessoa, uma placa de madeira estava acima da sua cabeça indicando a causa de seu crime, nos três idiomas mais usados da região, descrevendo os crimes cometidos.

Quando Jesus foi condenado, Pôncio Pilatos escreve em hebraico, grego e latim a razão de sua pena: “Jesus Nazareno, Rei dos Judeus”, o que em latim ficaria “Iesu(a) Nazarenus Rex Iudaeorum” e na pronucia hebraica algo como “Yeshua HaNatzrati vMelech Yehudim", o que aborreceu e muito os fariseus presentes, que pediram encarecidamente que a placa fosse modificada, o que Pilatos se negou a fazer.

Qual a causa de tamanho aborrecimento por parte dos judeus? 
A causa foi um acróstico que se formou quando ele escreveu a sentença. Um acróstico são formas textuais onde a primeira letra de cada frase ou verso formam uma palavra ou frase, é uma composição em verso, na qual, a primeira, e alguma vez, a última letra da linha é lida em ordem e forma um nome ou título.
Por exemplo: INRI é um acróstico das palavras escritas em latim “Iesu(a) Nazarenus Rex Iudaeorum”

No hebraico temos Jesus o Nazareno Rei dos judeus – Yeshua HaNatzrati vMelech Yehudim
 ישוע הנצרתי ןמלך היהודים (No hebraico se lê da direita para a esquerda).As iniciais usadas eram exatamente as mesmas usadas para pronunciar o nome sagrado de Deus יהוה (YHWH).

"E Pilatos escreveu também um título, e pô-lo em cima da cruz; e nele estava escrito: JESUS NAZARENO, O REI DOS JUDEUS.
E muitos dos judeus leram este título; porque o lugar onde Jesus estava crucificado era próximo da cidade; e estava escrito em hebraico, grego e latim.
Diziam, pois, os principais sacerdotes dos judeus a Pilatos: Não escrevas, O Rei dos Judeus, mas que ele disse: Sou o Rei dos Judeus.
Respondeu Pilatos: O que escrevi, escrevi".
João 19:19-22


Há Yehudim vMelech HaNazarei Yeshua

O que nós não vemos em nossas traduções é que o acróstico formado pelas primeiras letras de cada palavra forma o nome de Deus (YHWH)!


O hebraico se lê da direita para a esquerda. O nome de Deus יהוה (YHWH) é algo tão sagrado para os judeus, que eles não o pronunciam; entretanto, na leitura pública das Escrituras, eles o substituem por ADONAI - YHWH é para eles um nome impronunciavél.

יהוה (YHWH) é um tetragrama composto das letras hebraicas yod, he, vav, he.
Abaixo segue um quadro com seu equivalente no hebraico antigo.


Yod significa "mão", he é o sopro de Deus, vav significa "prego". Deus estava revelando Jesus em seu nome יהוה.  O nome de YHWH está dizendo: Jesus é o próprio Deus que foi pregado com suas mãos na cruz a fim de resgatar o homem. 

Quando Deus mudou o nome de Abrão para Abraão ele coloca a particula he ה em seu nome e no nome de Sara. Note: 
E não se chamará mais o teu nome Abrão (אברם) mas Abraão (אברהםserá o teu nome;
Gênesis 17:5

A Sarai tua mulher não chamarás mais pelo nome de Sarai (שרי), mas Sara (שרה) será o seu nome. 
Gênesis 17:15
A partir da mudança do nome de Abraão, Deus gerou vida e Sara ficou grávida. A partícula he em seu nome simbolizava a aliança que Deus estava fazendo com Abraão cujos descendentes se tornariam a nação de Israel.

Em Apocalipse 1:8 Jesus diz: "Eu sou o Alfa e o Omega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso". Alfa e Omega corresponde ao alfabeto grego, o equivalente em hebraico seria dizer que ele é o א Aleph e o Tav ת. Aleph significa força e é representado pela cabeça de um touro, tav é representado por uma cruz (vide quadro acima).
O tempo todo Deus está se revelando ao homem e confirmando a natureza divina de Jesus.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Janela 10x40 Missões


“Mas recebereis virtude do Espírito Santo, Deus há de vir sobre vós, e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra”. (Atos 1:8) 

Existem no mundo mais de 22.000 povos étnicos, com mais de 8 mil línguas diferentes. No centro do nosso mundo vive um grande numero de povos não alcançados e aproximadamente 1,8 bilhões de pessoas nunca ouviram falar de Cristo, Cristianismo ou Evangelho.
A Janela 10/40 é uma faixa de terra que vai do oeste da África até a Ásia. Subindo, a partir da Linha do Equador, fica entre os graus 10 e 40, formando um retângulo.

Na região vive o maior número de povos não-evangelizados da terra, cerca de 3,2 bilhões de pessoas em 62 países. É ali que estão algumas megalópoles de hoje, ou seja, cidades com uma grande concentração urbana como Tóquio (Japão), Calcutá (Índia), Bagdá (Iraque), Bancoc (Tailândia) entre outras. De cada 10 pobres da Terra, oito estão nessa região, e somente 8% dos missionários trabalham entre eles. É nessa faixa que se concentram os adeptos das três maiores religiões não-cristãs do mundo: islamismo, hinduísmo e budismo.

Na maioria dos países dessa região há falta de receptividade aos cristãos e, em especial, aos missionários que ali atuam. Os crentes sofrem perseguição e correm risco de vida. A saúde e proteção dos missionários é uma necessidade constante na região.

Países que formam a Janela 10/40
ORIENTE MÉDIO – 21 PAÍSES
Arábia Saudita, Argélia, Catar, Egito, Emirados Árabes Unidos, Iêmen, Irã, Iraque, Israel, Palestina, Jordânia, Kuweit, Líbano, Líbia, Marrocos, Mauritânia, Omã, Síria, Sudão, Tunísia e Turquia.

ÁFRICA – 12 PAÍSES
Benin, Burkina, Cabo Verde, Chade, Djibuti, Etiópia, Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissau, Mali, Níger e Senegal.

ÁSIA – 21 PAÍSES
Afeganistão, Bangladesh, Barein, Butão, Camboja, China, Coréia do Sul, Coréia do Norte, Filipinas, Índia, Japão, Laos, Malásia, Maldivas, Mongólia, Nepal, Paquistão, Sri Lanka, Tailândia, Taiwan (Formosa) e Vietnã.

EURÁSIA – 3 PAÍSES
Cazaquistão, Turcomênia e Tadjiquistão.

EUROPA – 4 PAÍSES
Albânia, Chipre, Gibraltar e Grécia


O objetivo principal de missões é semear o conhecimento da salvação através de Jesus Cristo e levar aos homens a confiar no Salvador. Porém existe o objetivo secundário que é cuidar da saúde, educação, do desenvolvimento comunitário do povo que o missionário (a) está convivendo. 
A estratégia do trabalho missionário inclui a alfabetização, assistência na área de saúde e higiene do povo, o desenvolvimento comunitário, o estabelecimento de uma economia própria.

O que a Bíblia diz sobre Missões?

A Bíblia é um livro puramente missionário, pois mostra um Deus totalmente interessado em retomar a comunhão com o homem, ao ponto de ter enviado o Seu único Filho para resgatar este relacionamento. E o próprio Filho nos enviou como Ele foi enviado (Jo:20-21). O próprio caráter de Nosso Senhor é missionário. Portanto não é de surpreender que Sua Palavra também manifeste esta característica.

Enquanto todos os crentes são chamados para um testemunho cristão através de suas vidas, Deus chama alguns para o ministério de tempo integral (missionário), quer monocultural (trabalho dentro da sua própria cultura) quer transcultural (através de uma cultura diferente).

O Caráter : 
1. Geográfico - “os confins da terra”- At.1:8
Confins da terra não é o lugar mais distante de onde a pessoa se encontra, mas é o lugar geográfico onde ainda o evangelho não foi pregado.

2. Cultural - “a todas as nações”- Lc.24:47
Todas as etnias devem receber a mensagem de salvação. Portanto, missões toma uma aspecto transcultural, pois se não há ninguém dentro da própria cultura com recursos para evangelizá-los, será necessário que missionários transponha essas culturas para poder alcançá-los com o evangelho de Jesus Cristo.

3. Lingüístico - “de todas as nações”- Mt.28:19
Nações = etnia - povo com a mesma cultura, as mesmas crenças e a mesma língua. Para alcançar um povo com o evangelho, o missionário deverá aprender a falar a “a língua do coração” daquele povo, ainda que entenda outra língua. Dependendo do local onde trabalha, o missionário terá de aprender até mais do que duas línguas.

4. Simultâneo - At.1:8
“...e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.”

As palavras tanto, como e até dão a idéia de três metas que devem ser alcançadas na mesma proporção – simultaneamente; ao mesmo tempo.

Alguns cuidados:
Não pratique o etnocídio: Etnocídio = “exterminar um povo ou raça”
Na antropologia cultural poderia se dar o sentido de “suprimir os valores culturais de um povo pela imposição de novos valores”.

Não Cristianize, mas Evangelize:
Cristianizar - É a transmissão de formas moralistas e estereotipadas de como deve se comportar um cristão.

Evangelizar - É propor o Evangelho, não impor (ICo:9-18). Se eu proponho, isso indica que o outro tem uma opção a escolher. Esse maravilhoso dom da liberdade ninguém tem o direito de usurpá-lo ao seu semelhante.

A mensagem imutável do evangelho deve ser contextualizada ao idioma e cultura de quem ouve, sem perder suas características intrínsecas. Em outras palavras, a mensagem não muda, mas a sua apresentação precisa ser relevante à cada pessoa.

Igreja Perseguida

Há perseguição da igreja em pelo menos 196 países, e houve um aumento de mais de 300% (pesquisa do ano de 2012) afetando pelo menos 350 milhões de cristãos pelo mundo.
Em alguns países, confessar a fé cristã pode resultar em prisão, exílio ou morte extrema. E esta perseguição se dá de varias maneiras, como a prática de incendiar igrejas, intimidação violenta, mortes e muitas outras.

Alguns exemplos do aumento da perseguição é a pressão publica dos muçulmanos, o Paquistão impõem a lei anti-blasfêmia, e isso acarreta uma crescente pressão dos extremistas sobre os cristãos em geral em países africanos como Quênia, Mali, Nigéria e Chade, e ali tentam impor a força seus ideais religiosos extremistas como também em alguns países europeus onde grupos laicistas tentam colocar suas idéias de secularização e o mesmo acontece em vários estados da Índia onde criam leis que impedem o intercâmbio religioso.

“Missões se faz com os joelhos dos que oram, com as mãos dos que contribuem e com os pés dos que vão”

sábado, 3 de novembro de 2012

As quatro faces de Jesus



"E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos". Apocalipse 5:8

"E do meio dela saía a semelhança de quatro seres viventes. E esta era a sua aparência: tinham a semelhança de homem.
E a semelhança dos seus rostos era como o rosto de homem; e do lado direito todos os quatro tinham rosto de leão, e do lado esquerdo todos os quatro tinham rosto de boi; e também tinham rosto de águia todos os quatro".
Ezequiel 1:5,10


Notemos em primeiro lugar na reiteração do número quatro. São quatro seres e cada um com quatro rostos e quatro asas.
Qual é o significado do número quatro nas Escrituras?
O número três significa a perfeição divina com especial referência à Trindade. O número quatro deveria marcar então aquilo que se segue da revelação de Deus na Trindade, isto é, as suas obras criadas. Em outras palavras, o número quatro representa tudo o que foi criado. Diante disso, o número quatro aplicado ao terreno, significa a totalidade terrena. Por isso, as expressões bíblicas: "os quatro limites da terra" (Is. 11: 12), "os quatro ventos" (Ez. 37: 9), "a largura, o comprimento, a profundidade e a altura" (Ef. 3: 18).

Podemos também falar dos quatro pontos cardeais e das quatro estações do ano. Todas elas expressam a totalidade da realidade terrena. Portanto, o número quatro aplicados a terra significa a plenitude terrestre. Não é o número da plenitude divina, mas sim da plenitude no âmbito terrenal. A plenitude que manifestou nosso Senhor durante a sua vida na terra está tipificada pelos quatro seres viventes. Por isso, não é casualidade que a vida terrena de Cristo esteja registrada em quatro evangelhos.

Estas descrições e a ordem delas calçam perfeitamente com a ordem dos quatro evangelhos.
Mateus: com o leão. Mateus revela a Jesus Cristo como Rei, a realeza de Jesus está representada pelo leão.
Marcos: como o bezerro ou boi tendo o novilho como animal sacrificial. Marcos o revela como Servo. O Evangelho de Marcos apresenta o Senhor Jesus como o Servo que Se fez sacrifício pelo pecado.
Lucas: com o rosto de homem.  Isso é uma figura da humilhação e renúncia da glória do Senhor ao vir a este mundo. O Evangelho de Lucas apresenta o Senhor Jesus como Filho do Homem.
João: com a águia voando. João o revela como Deus, a sua divindade. Seu Evangelho começa com a contemplação de Jesus-Deus, Jo 1,1. A águia é o símbolo de São João, porque ele começa seu Evangelho falando da geração do Verbo em Deus, alçando-se desde o começo a alturas divinas, como a águia que se eleva em seu vôo.

O profeta Ezequiel via a Glória de Deus sobre um carro (merkabah). E o carro tinha quatro rodas imensas que iam da terra ao céu. E em cada roda havia uma figura: a de um homem, a de um leão, a de um boi, e a de uma águia. Tais rodas, que iam da terra ao céu, representam os quatro evangelhos, cujas verdades são acessíveis até mesmo às pessoas mais simples (ao nível da terra), e, a mesma verdade, girando a roda, alcança o alto dos céus, isto é, pode ser entendida em sentido muito elevado e espiritual.


Leão: Ele é conhecido como o Rei dos AnimaisSua imagem é normalmente associada ao poder, à justiça, à realeza e à força. Dentre vários símbolos usados para descrever a grandiosidade da pessoa de Cristo, o N T. refere-se a ele como “o Leão da Tribo de Judá” em clara referência a ele como o Messias e Campeão prometido que viria da tribo de Judá. Em alusão a isso, o célebre escritor inglês C. S. Lewis em sua obra clássica As Crônicas de Nárnia faz do personagem central da obra um leão, Aslan.


Águia: é conhecida como rainha das aves, é uma das mais fortes e corajosas aves de rapina. Ela aparece como símbolo da ressurreição e o triunfo de Cristo. Ela representa o olhar penetrante, que vê longe, é superior em inteligência. Jesus nos via sendo salvos. A águia é o símbolo da visão de Deus.



Boi: O boi é o símbolo do servo que trabalha incessantemente, sem reclamar, sem contestar. Jesus disse que não veio a este mundo para ser servido e sim para servir aos homens. Se o mestre serviu, quanto mais nós devemos seguir seu exemplo. O boi representa o serviço! No AT o novilho era oferecido em sacrificio. O sacrifício de Jesus.





Homem: Jesus nunca negou seu lado humano. Ele deixou a sua glória e encarnou como homem. E como homem padeceu e foi tentado em todas as coisas, porém venceu a todas elas sem pecar.

Os quatro seres viventes são figuras de Cristo, dos diferentes aspectos da revelação de Cristo, dos seus diferentes papéis — o de Messias e Rei, o de servo e sacrifício, o de homem, e o de Deus; diferentes aspectos do mesmo Cristo, diferentes pontos de vista da sua pessoa e obra; quatro rostos, quatro evangelhos, mas apenas uma pessoa.

O profeta Ezequiel os viu com asas indo por todas as direções. Isso significa que Deus está em todos os lugares, ou seja, que Ele é onipresente. Não existe lugar neste mundo, tampouco qualquer coração por mais escuro que seja em que a mão misericordiosa de Deus seja incapaz de agir.

As asas dos querubins estão cheias de olhos, ao redor e por dentro, significando que não há nenhum espaço, por menor que seja, quer nos Céus quer na Terra, que esteja fora do alcance dos olhos de Deus, pois Ele é onisciente e tudo vê.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Simbologia do Tabernáculo

Quando o povo de Deus recebeu a lei, não sabia ainda o que realmente o Senhor estava preparando. Porém como está escrito em Hebreus 8: 5, uma sombra das coisas divinas.
O antigo israelita entendia que o pecado tinha de ser pago com o sangue, a própria vida, o que levava a um substituto animal, cujo sacrifício seria no lugar do homem. Este símbolo principal era uma figura do grande sacrifício que viria, um único e de solução permanente: JESUS


As simbologias do Tabernáculo e da Lei:
Tabernáculo: própria presença de Deus. O cristão do novo testamento, pois o Espirito Santo habita nele
Santo dos Santos: representa o céu, figura da presença de Deus
Arca da Aliança: sinal máximo do pacto de Deus com o homem, possuía anjos olhando para sua base, observando a redenção humana. É o lugar onde a Lei (dez mandamentos) encontra a misericórdia.
Véu: separava o Santo dos Santos, figura da separação existente entre Deus e os homens. Rasgou-se quando Jesus morreu (Mt 27:51)
Candelabro: as luzes podem simbolizar a presença dos sete espíritos de Deus, ou seja, os aspectos do Espirito Santo.
Mesa da Proposição: simboliza a gratidão a Deus pelo sustento diário. Jesus é o pão da vida.
Altar do Incenso: significa a oração que dura para sempre, a intercessão do Espirito.
Altar do Holocausto: símbolo do sacrifício e morte de Jesus Cristo.
Bacia de Bronze: significa purificação na busca de Deus, santificação e limpeza do pecado
Sumo Sacerdote: fazia a intermediação entre Deus e o homem. Jesus é o mediador  definitivo para que todos tenham acesso ao Pai.

A Madeira de Acácia e o Ouro

O tabernáculo foi construído basicamente de dois materiais: ouro e madeira de acácia. A acácia é uma madeira pesada e dura, quase indestrutível pelo tempo ou pelos insetos. Por isso ela foi excelente para o uso longo do tabernáculo. A indestrutibilidade dessa madeira representa também que a humanidade de Cristo era incorruptível, nem o pecado e nem Satanás podendo atingir a Cristo, João 14.30; Lucas 1.35; Atos 2.31 (Salmos 16.10).

Se o ouro significa a divindade e a madeira de acácia representa a humanidade, temos uma figura perfeita de Cristo. A divindade, pois Emanuel é “Deus conosco”

As Cores do Tabernáculo:

Tudo no tabernáculo tem uma cor, seja o ouro, a prata, o cobre, as peles de animais, as pedras de engaste, ou a madeira. As cores são: azul, púrpura, carmesim e a branca do linho fino.

Azul é a cor dos céus, portanto aponta o caráter e a natureza de Cristo como Sumo Sacerdote.Como Cristo veio dos céus, voltou aos céus e está hoje intercedendo pelos seus à destra do Pai (Rm 8.34), os em Cristo têm uma vocação celestial (Hb 3.1), uma cidadania celestial (Jo 3.3-6; Hb 11.16), e uma herança celestial (I Pd 1.4).
Púrpura é a cor dos reis (Mc 15.17,18), portanto essa cor manifesta a verdade que Cristo é o Soberano e tem toda a glória dessa posição Real. Cristo foi profetizado para ser o Príncipe da Paz e reinar “do trono de Davi, cujo principado e paz não haverá fim” (Is 9.6,7).

A cor carmesim, pelas escrituras, e especialmente quando se refere ao Cristo, manifesta o Cristo Sacrificatório e a Sua humildade.

A cor carmesim, para os usos no tabernáculo, foi conseguida do corpo da fêmea do “coccus ilicis” um verme, (a palavra hebraica para escarlata e carmesim). Nisso entendemos que a cor carmesim no tabernáculo aponta tanto à humilhação de Cristo quanto à Sua morte. O fato que o carmesim fazia parte dos sacrifícios, entendemos que é o sangue de Cristo que lava-nos de todo o pecado.

A cor branca do linho fino é emblemática da perfeição, pureza, e santidade de Deus em Cristo, e aos que são lavados no sangue de Cristo.

A cor branca refere-se ao efeito da obra de Cristo no lugar do Seu povo. Ele os faz perfeitos, santos e justos, propícios para serem na presença de DeusDeus veste Seus sacerdotes de justiça, como são vestidos os sacerdotes do tabernáculo.

Mãe de todas as prostituições- Babilonia

Todas as religiões falsas do mundo têm sua origem em Babilônia.

E na sua testa estava escrito o nome: Mistério, a grande babilônia, a mãe das prostituições e abominações da terra. 
Apocalipse 17:5

Ninrode era neto de Cão, o filho amaldiçoado de Noé. Ninrode vem do heb. marad = “rebelar-se”. A tradução literal do seu nome poderia ser: “vamos nos revoltar”.
Ele fundou um reino EM OPOSIÇÃO ao reino de Deus e chefiou a construção de uma torre (Babel), e de uma cidade – Babilônia – onde se originou todo o sistema anti-Deus.

Vamos entender um pouco sobre o mito do deus sol:
A bíblia conta que um dos filhos de Noé, aquele que riu de sua nudês, Cã (ou Cão) após ser amaldiçoado pelo pai por ter zombado de sua nudez quando Noé estava embriagado, teve filhos. Um deles, chamava-se Cuxe que por sua vez, tomou por mulher Semiramis, e com ela, teve um filho chamado Ninrode.

Ninrode
Ninrode ficou biblicamente conhecido como o primeiro poderoso da terra, tomou como esposa a própria mãe, Semiramis e foi o construtor da torre de Babel, em respaldo de que a humanidade jamais seria novamente tragada pelo dilúvio. Ele pretendia reunir a humanidade em um só lugar. Neste tempo todos falavam uma só língua e seu objetivo era exercer domínio sobre todos.

obelisco egípcio
Ninrode foi morto por seu tio avô Sem (filho de Noé, irmão de Cão). Este o esquartejou e separou seus pedaços, dando fim a sua enorme maldade, e rebelião.
Ninrode foi morto esquartejado, assim como seu correspondente na cultura egipcia: Osiris. A história diz que Osiris teve seu corpo esquartejado e os pedaços separados por Sete (que não era seu tio avô, mas seu irmão, o que não anula o grau de parentesco). A deusa Isis então, viajou a procura dos pedaços.
Quando Ninrode foi morto, Semiramis tinha todas as partes do seu corpo, com exceção de uma parte que não pôde ser encontrada. Essa parte que faltava era o seu órgão reprodutor. Os obeliscos que vemos até hoje são representações do pênis perdido e não circuncidado de Ninrode.

Semiramis disse ao povo da Babilônia que Ninrode havia subido aos céus para assumir seu lugar de deus sol. Disse também que ele se faria presente na Terra sob a forma de uma chama, se vela ou lâmpada, quando usados na adoração (a chama da liberdade).

Com a morte de Ninrode, Semiramis disse que ele ascendeu aos céus e a engravidou com os raios de sol. Semiramis alegou que ela foi concebida imaculada.
O filho que ela deu à luz foi chamado Tamuz no dia 25 de dezembro, no solstício de inverno.
Tammuz, tornou-se caçador. Todos acreditavam que ele era imortal, porém, quando Tammuz tinha 40 anos, foi morto por um porco selvagem. Semiramis então proclamou 40 dias de luto correspondente aos 40 anos de vida de Tamuz. Durante este tempo, nenhuma carne era para ser comida.
Quando Tamuz foi morto por um porco selvagem, seu sangue caiu no toco de uma árvore verde, e do toco cresceu uma árvore durante a noite. Isso fez com que adoradores venerassem a árvore verde sagrada com o sangue de Tamuz.


A letra inicial de "Tam-Muz" foi escrita em hebraico como um sinal vertical da cruz e foi pronunciado como "Tau". Assim, o sinal da cruz foi a letra inicial do deus babilônico "Tamuz", ou Baco ou Ninrode. Babilônios tinham que fazer o sinal do "T" na frente de seus corações, quando eles o adoravam. Eles também comeram os bolos sagrados com a marcação de um "T" ou cruz no topo. O sinal da cruz foi, portanto, usado como um símbolo sagrado mágico para afastar o mal.

Quando Semiramis morreu anos depois, ela foi tida como a rainha dos céus, ela ascendeu aos céus e os deuses a trouxeram de volta em um ovo gigante que aterrisou no rio Eufrates.
Isso era para ter acontecido no momento da primeira lua cheia após o equinócio da primavera.
Semíramis tornou-se conhecida como Ishtar que deu origem a palavra "Easter" (Páscoa) e Este (onde nasce o Sol) "Ishtar" que é pronunciado como "Easter".
Easter, a deusa da fertilidade com seus seios de fora transformou um pássaro em um coelho que põe ovos para proclamar a sua divindade.
Osiris, Horus e Isis

Semiramis era agora adorada como a "Mãe de Deus e Rainha dos Céus". Todo ano, no primeiro domingo após a primeira lua cheia depois do equinócio da Primavera, uma celebração era feita. Foi chamado Domingo de Ishtar. Ela também proclamou que, como Tammuz foi morto por um porco, um porco deveria ser consumidos nesse domingo.
Os 40 dias de luto de Tamuz correspondem a quaresma e o domingo da ressurreição corresponde ao domingo de ressurreição de Semiramis.

deusa egípcia Isis, e Maria
No túmulo de Tamuz, no Vale de Hinon, seus adoradores costumavam oferecer virgens ao seu altar, os sacerdotes as engravidavam e 1 ano depois sacrificavam seus bebês de 3 meses nesse altar e pintavam um ovo com o sangue dos bebês. Em algumas tradições só se permite a cor vermelha nos ovos de pascoa e comem presunto para representar o porco que matou Tamuz.


Quando Deus confundiu as línguas em Babel, os homens se espalharam pela terra, porém o culto a trindade babilônica permaneceu.
Semiramis se tornou conhecida como Isis, Diana, Artemis. Astarte, Cybele,  nomes diferentes devido às diferenças agora em todas as línguas.

E levou-me à entrada da porta da casa do SENHOR, que está do lado norte, e eis que estavam ali mulheres assentadas chorando a Tamuz.
E disse-me: Vês isto, filho do homem? Ainda tornarás a ver abominações maiores do que estas.
E levou-me para o átrio interior da casa do SENHOR, e eis que estavam à entrada do templo do SENHOR, entre o pórtico e o altar, cerca de vinte e cinco homens, de costas para o templo do SENHOR, e com os rostos para o oriente; e eles, virados para o oriente adoravam o sol.
Ezequiel 8:14-16


Em Roma vemos o mesmo deus Mitra que era cultuado como o deus sol, cujo touro sacrifical representava a lua. Como a prática da santa ceia, Ceia esta que era praticada nas religiões mitraicas, onde se comia o pão e o vinho, em honra ao corpo e o sangue sacrifical de mitra e do touro sagrado por ele morto. Inclusive, o dia de seu nascimento é 25 de dezembro, data esta do que diz-se que cristo nasceu (diz-se, pois a bíblia, livro texto do cristianismo, não contém sequer registro do dia do seu nascimento).

Afrodite, Zeus e Eros; Osiris, Horus e Isis; Maria, menino Jesus e Jose
Israel seguia o calendário lunar, porém Julio Cesar adotou o calendário solar desenvolvido na Babilônia com 4 quadrantes, estabelecendo os solstícios e os equinócios.
Os mais eruditos sabem, que a igreja católica foi fundada do pó das ruínas do Império Romano, então dominador e que absorvera as culturas pagãs para se fortalecer, e assim, estabelecer o domínio das massas. Constantino era adorador do deus sol, a fim de obter o domínio do povo estabeleceu a adoração a Cristo de acordo com as festas pagãs em adoração ao deus sol.
Logo depois, o Papa Gregório  também adotou o calendário babilônico em adoração ao deus sol.

Com uma percepção aguçada, podemos perceber a evidente relação entre estas divindades. A adoração ao deus sol (Tamuz) que é citada na bíblia, é a mesma prestada a Horus (ou Rá), deus sol na cultura egípcia. Visto que Isis (Semiramis, como já explicado e demonstrado anteriormente) é ninguém menos que sua mãe, e aparece amamentando Horus (Tamuz).


Egito: Isis, Horus
Alemanha: Herta
Escandinávia: Disa
Astecas: Tonatzin
Sumérios: Inana
Romanos: Jupiter, Venus
India: Krishna
Israel: Astaroth, Baal
Gregos: Afrodite

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Semiramis, Ninrode e Tamuz

Abaixo um video em espanhol do pastor Michael Rood sobre a origem do mito de Semiramis, Ninrode e Tamuz!






sábado, 15 de setembro de 2012

Babilônia -


Documentário em 9 partes sobre a Babilonia, é so entrar no canal e ver as outras partes.